Preço do carvão afecta resultados de consórcio indiano em Moçambique

15 August 2014

A mina de carvão em Moçambique recentemente adquirida pelo consórcio indiano ICVL regista um prejuízo de 35 dólares por cada tonelada de carvão que extrai, disse o director financeiro da Steel Authority of India Ltd (SAIL).

No decurso de uma conferência com investidores, Anil Chaudhary disse que os custos de produção na mina de Benga situam-se actualmente em 165/166 dólares a tonelada quando o preço de venda dessa mesma tonelada ronda 130 dólares.

A estatal Steel Authority of India Ltd, que lidera o consórcio International Coal Ventures Pvt. Ltd (ICVL), importa cerca de 85% do carvão de coque que consome, matéria-prima fundamental para a produção de aço.

Citado pelo Mint New Delhi, Anil Chaudhary disse ainda que o carvão a ser extraído em Moçambique será ainda consumido pela Rashtriya Ispat Nigam Ltd (RINL), atendendo a que a National Mineral Development Corp. Ltd (NMDC), outro dos membros do consórcio, ainda não iniciou a produção de aço.

Em Julho passado, o grupo anglo-australiano Rio Tinto acordou a venda da mina de Benga e dois outros activos mineiros, Zambeze e Tete Oriental, ao consórcio de empresas estatais indianas por 50 milhões de dólares, sendo que a Steel Authority of India Ltd deterá 48% e  NMDC e a RINL 26% cada.

O grupo Rio Tinto pagou por estes activos cerca de 4 mil milhões de dólares quando em 2011 adquiriu a empresa australiana Riversdale Mining. (macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH