Concessionários negociam capital para construir barragens em Moçambique

8 September 2014

A realização do capital necessário para a construção dos aproveitamentos hidroeléctricos de Boroma e Lupata, em Moçambique, bem como das respectivas linhas de transporte, está a ser negociada com parceiros estrangeiros, de acordo com a imprensa moçambicana.

Paulo Ratilal, representante das sociedades concessionárias Hidroeléctrica de Boroma e Hidroeléctrica de Lupata, disse que “o capital necessário será de 1,8 mil milhões de dólares, sem contar com o relativo à construção das linhas de transmissão necessárias para ligar as barragens à rede eléctrica nacional.”

A Hidroeléctrica de Lupata inclui na sua estrutura accionista a Hydroparts Holding e a Cazembe Holding, ambas das ilhas Maurícias, a Electricidade de Moçambique e a Sonipal de Moçambique e a de Boroma inclui na sua estrutura accionista a Rutland Holding (ilhas Maurícias) a Electricidade de Moçambique e a Sonipal.

A central hidroeléctrica de Boroma tem um custo estimado em 572,5 milhões de dólares e um período de construção de cinco anos, enquanto a de Lupata deverá custar 1072 milhões de dólares e ter um prazo de construção semelhante.

Quando concluída, a barragem de Lupata irá produzir 612 megawatts (mW), enquanto a de Boroma terá uma capacidade de produção de energia de cerca de 210 mW.

Paulo Ratilal disse ainda ao jornal Notícias, de Maputo, que uma participação de 10% das duas sociedades foi já entregue gratuitamente ao Estado moçambicano, o dobro do estipulado por lei, sendo que uma participação adicional de 5% será vendida em oferta pública realizada na Bolsa de Valores de Moçambique. (macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH