China financia reconstrução de porto de pesca em Moçambique

11 September 2014

O governo de Moçambique assinou, quarta-feira em Maputo, um acordo de enquadramento com a China, com vista à concessão de um empréstimo de 120 milhões de dólares para a reconstrução do porto de pesca da Beira, na província de Sofala.

O ministro das Finanças de Moçambique, Manuel Chang, ao realçar a importância da infra-estrutura para o desenvolvimento da região centro do país, disse que o entendimento antecede um acordo de financiamento com o Banco de Exportação e Importação (ExIm) da China, que deverá conceder o crédito bonificado até ao final do ano.

Manuel Chang adiantou que a iniciativa faz parte de uma carteira de 11 projectos do triénio 2013-2015, para os quais o governo moçambicano solicitou financiamento à China, e que está essencialmente voltada para o desenvolvimento de infra-estruturas, apresentando um orçamento global de 1400 milhões de dólares.

Com as obras de reconstrução e expansão, referiu Chang, o porto de pesca da Beira passará a manusear anualmente cerca de 70 mil toneladas de pescado, gerando mais comércio e postos de trabalho na região, além do reforço dos “meios de manuseamento, refrigeração e armazenamento” da infra-estrutura portuária.

Sobre o projecto, o embaixador da China em Moçambique, Li Chunhua, referenciou o sucesso de iniciativas semelhantes financiadas com capitais chineses, que “abrem boas perspectivas” ao acordo, tendo ainda demonstrado a abertura de Pequim para “ampliar a cooperação com o país e aprofundar a amizade tradicional que une os dois povos”.

A China tem vindo a assumir um papel cada vez mais relevante na concessão de empréstimos a Moçambique para o desenvolvimento de infra-estruturas, de que são exemplo os projectos de construção dos terminais internacional e doméstico do Aeroporto Internacional de Maputo e o Estádio Nacional do Zimpeto (já concluídos), além da Circular de Maputo e da ponte Maputo/Catembe, cujo valor ascende a mais de 1000 milhões de dólares.

Dados disponíveis na página electrónica do Ministério das Finanças de Moçambique referentes ao “stock” da dívida pública moçambicana indicam que a China financiou, em 2013, os projectos de construção do edifício da Presidência da República e da reconstrução da Estrada N6, no troço Beira/Machipanda, no valor de 71,9 milhões de dólares e de 416,5 milhões de dólares, respectivamente.

Entre 2012 e 2013 o valor dos créditos concedidos pela China a Moçambique subiu de 342,52 milhões de dólares para 672,01 milhões de dólares, ainda de acordo com o Ministério das Finanças. (macauhub/MZ/CN)

MACAUHUB FRENCH