Porto do Maputo, Moçambique, com maior capacidade de processamento de carga

24 September 2014

O porto de Maputo vai receber investimentos nos próximos anos para aumentar a capacidade de processamento de carga de 40 milhões para 50 milhões de toneladas até 2020, disse o presidente da Companhia de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC).

Osório Sales Lucas, que falava na sessão de lançamento do Centro de Operação Conjunta (JOC, na sigla em inglês) do Corredor de Maputo, que reúne os operadores ferroviários Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique, Transnet Freight & Rail da África do Sul e Swaziland Railway, em conjunto com a Sociedade de Desenvolvimento do Porto de Maputo, disse ainda que um dos objectivos do investimento é transferir mais carga das estradas para os caminhos-de-ferro.

Parte do investimento será canalizado para a construção de três novos cais e novas acções de dragagem para aumentar a profundidade do porto dos actuais 11 metros para 14 metros, permitindo a atracação de navios de maior calado.

O presidente da MPDC disse que um concurso público será anunciado nos próximos meses a fim de garantir que as novas operações de dragagem serão efectuadas por uma empresa com capacidade e que no entretanto a Italeni, a nova draga da Transnet Freight & Rail, chegará a Maputo esta semana para dragagens de manutenção.

Em simultâneo, a estatal Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique projecta investir 2 mil milhões de dólares em infra-estruturas e material circulante para fazer com que a maior parte da carga destinada ao porto de Maputo aí chegue por caminho—de-ferro, contra a situação actual em que é transportada em camiões.

A MPDC, que é uma parceria que inclui os grupos Grindrod da África do Sul e DP World dos Emirados Árabes Unidos como os principais accionistas, processou 17 milhões de toneladas de carga em 2013, número que deverá aumentar para 19 milhões de toneladas este ano.

Em funcionamento desde 2013, o JOC, que coordena as operações Transnet Freight Rail, CFM, Swaziland Railway e da MPDC já permitiu a introdução de melhorias, que incluem a redução dos tempos de espera em Komatipoort em 24% e no porto de Maputo de 57%, tendo as exportações sul-africanas de magnetite aumentado de uma média de 10 para 18 comboios por semana. (macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH