Moçambique melhora 15 posições no “Doing Business” do Banco Mundial

30 October 2014

Moçambique registou uma melhoria no “Doing Bussiness 2015”, recentemente divulgado pelo Banco Mundial, ocupando actualmente a 127.ª posição do índice que avalia o ambiente de negócios de 189 países e que é liderado por Singapura, Nova Zelândia e Hong Kong.

Com subidas de entre três a 47 posições nos indicadores “tratamento de autorizações para construção”, “registo de propriedade”, “acesso a crédito” e “resolução de insolvências”, Moçambique passou para o 127.º lugar da tabela, representado uma melhoria de 15 posições face ao último estudo.

O país registou, contudo, avaliações negativas nas rubricas “abertura de negócios”, “acesso a electricidade”, “protecção de pequenos investidores”, “pagamento de impostos” e “comércio entre fronteiras”, destacaram os investigadores do Banco Mundial, que apontam descidas de entre 1 a 12 posições nestes indicadores.

Comentando, em Maputo, os resultados do índice, a ministra dos Recursos Minerais de Moçambique considerou que “é uma notícia bastante boa para o governo moçambicano e significa que as reformas que têm estado a ser feitas começam a fazer efeito”.

Depois de Moçambique, São Tomé e Príncipe foi o segundo país-membro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) que apresentou a maior subida, sendo actualmente o 153.º mais competitivo do índice, numa melhoria de sete posições face a 2014.

Prestações positivas tiveram igualmente o Brasil (três postos para o 120.º lugar) e Timor-Leste (dois postos para a 172.ª posição), contrariando os restantes cinco países da comunidade lusófona, que registaram perdas de posições, destacando-se Cabo Verde, que desceu quatro posições, passando para o 122.º lugar da tabela, como o país que mais pontos perdeu.

À semelhança da Guiné-Bissau, que recuou três posições para o 179.º posto da tabela, também o mais recente membro da comunidade, a Guiné Equatorial, perdeu três posições, ocupando agora o 165.º lugar.

Portugal recuou duas posições, mas mantém o estatuto de país com o melhor ambiente de negócios da CPLP (25.ª posição), o oposto de Angola, que apresenta a pior classificação do índice (181.º) entre a comunidade, e que perdeu uma posição face à última avaliação. (Macauhub/MZ/ST/BR/TL/GW/PT/CV)

MACAUHUB FRENCH