Huambo e Moxico, Angola, vão ter plataformas logísticas rodoferroviárias

31 October 2014

A empresa AngoFret vai investir 52,70 milhões de dólares na construção de duas plataformas logísticas rodoferroviárias nas províncias angolanas do Huambo e do Moxico, servindo o denominado Corredor do Lobito, de acordo com um contracto de investimento.

Assinado com a Agência Nacional de Investimento Privado (ANIP), o contracto prevê o início do projecto em Janeiro de 2015, indo as duas plataformas ser construídas nos municípios do Huambo, numa área de 22 hectares, e de Luena, com 21 hectares.

O corredor ferroviário do Lobito baseia-se numa ligação ferroviária desde o litoral (porto de Lobito) de Angola à fronteira interior (Luau), com prolongamento para a Zâmbia e República Democrática do Congo, sendo apontado como factor de desenvolvimento daquela sub-região da África Austral.

Entre outros objectivos, os promotores destas duas plataformas logísticas afirmam pretender “contribuir para o crescimento de economia angolana através do aumento da capacidade de distribuição da produção nacional” e propiciar “o abastecimento eficaz de bens de consumo, equipamentos e géneros alimentícios no mercado interno.”

A AngoFret é uma empresa angolana que opera no sector das cargas e da logística, proprietária de terminais logísticos e depósitos multimodais nos Caminhos-de-Ferro de Benguela (CFB) em Lobito, Catumbela, Huambo, Luena e Luau, e controlada pelo grupo DT, uma parceria em partes iguais entre os grupos Cochan Ltd e Trafigura. (macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH