Angola e Namíbia constroem barragem comum no rio Cunene

11 November 2014

A barragem comum na bacia do rio Cunene que Angola e Namíbia pretendem construir terá um custo de 1,37 mil milhões de dólares e produzir 600 megawatts de energia eléctrica, de acordo com as conclusões do estudo de viabilidade, segunda-feira conhecido em Luanda.

O futuro Aproveitamento Hidroeléctrico de Baynes, que abrange parte da província angolana do Namibe (sul), será repartido pelos dois países, em termos de electricidade produzida e de 30% do investimento total necessário, sendo os restantes 70% garantidos através de financiamento bancário.

O documento foi apresentado pela Comissão Técnica Permanente Conjunta entre Angola e Namíbia indica que a barragem terá um prazo de construção de 7 anos, uma altura de 200 metros e uma albufeira com 40 quilómetros de comprimento e capacidade para armazenar 2560 milhões de metros cúbicos de água.

A componente do investimento a garantir pelos dois Estados, 30% de 1,37 mil milhões de dólares, poderá ser mais reduzida, em caso de interesse de privados no projecto, conforme foi admitido durante a apresentação do estudo e recomendações.

Tendo em conta as características do projecto, apresentado como exemplo de integração regional, a electricidade gerada, dada a capacidade de resposta da barragem em picos de consumo, poderá ainda ser exportada para outros países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral, face à interligação das redes energéticas da região.

Uma das inovações deste projecto consiste na tomada de água – para as cinco turbinas que vão gerar electricidade – em dois níveis diferentes da albufeira, de forma a “regular” a temperatura de saída, estando ainda previsto um caudal mínimo entre 20 a 50 metros cúbicos por segundo. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH