FAO abre linha de crédito de 97,6 milhões de dólares para Moçambique

17 November 2014

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) abriu uma linha de crédito para reduzir bolsas de fome em pelo menos 36 distritos dos corredores de desenvolvimento de Maputo, Beira e Nacala a partir de 2015, informou o jornal Correio da Manhã.

A linha, com um financiamento de 97,6 milhões de dólares, destina-se a produtores familiares de cereais, legumes e hortícolas, sendo que os créditos só estarão disponíveis no primeiro trimestre de 2015 sendo o período de reembolso de cinco anos.

A fonte do Ministério da Agricultura citada pelo jornal acrescentou que a FAO está a financiar outros países africanos tidos como pobres e com altos índices de fome nas regiões rurais, no âmbito da iniciativa “Mais Alimentos para África”, lançada em 2010 no Brasil.

No caso concreto de Moçambique, aquela organização das Nações Unidas prevê igualmente, num período de cinco anos, realizar acções de formação de pequenos agricultores durante o processo de transição da actual agricultura predominantemente manual para a mecanizada, esforço previsto para arrancar em 2015 e que deverá custar cerca de 9,3 milhões de dólares.

No primeiro ano, o agricultor irá beneficiar de meios de produção, como adubos e sementes melhoradas, além de acções de formação de prestação de serviços agrários como sementeira e irrigação para melhorar o nível de produtividade e sustentabilidade.

O sector familiar em Moçambique é responsável pela utilização de quase toda a terra arável existente, estimada em 36 milhões de hectares, de que apenas 10% estão em uso. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH