Timor-Leste com maior competitividade fiscal no mundo em língua portuguesa

24 November 2014

Timor-Leste é o país mais bem classificado de entre os de língua portuguesa na lista das nações mais competitivas do mundo em termos de carga fiscal, de acordo com o estudo “Paying Taxes 2015” da consultora PricewaterhouseCoopers, recentemente divulgado.

O estudo coloca Timor-Leste na 55ª posição, acima de Portugal que aparece na 64ª posição e a grande distância dos restantes países de língua portuguesa – Angola (144ª), Brasil, (177ª), Cabo Verde (91ª), Guiné-Bissau (150ª) Moçambique (123ª) e São Tomé e Príncipe.

A elaboração desta lista baseia-se num conjunto de indicadores, tais como a carga fiscal suportada pelas empresas, o número de horas despendido para tratar dos assuntos fiscais e o número de pagamentos anuais.

No caso de Timor-Leste, o imposto aplicado às empresas tem uma taxa de 11%, o número de horas necessário para tratar dos assuntos fiscais é de 276 e o número de pagamentos anuais é de 18.

No caso de Portugal, que surge no segundo deste subconjunto, a taxa paga pelas empresas é de 42,4%, o número de horas é de 275, uma a menos do que no caso de Timor-Leste e o número de pagamentos é de apenas 8, igualmente menor.

Este estudo da PricewaterhouseCoopers que compara a carga fiscal de 189 economias mundiais, elaborado em colaboração com o Banco Mundial, indica que em média as empresas efectuam oito pagamentos de impostos por ano (número que se tem mantido constante) e a gastar 275 horas para tratar de assuntos fiscais. (Macauhub/AO/BR/CV/GW/MZ/PT/ST/TL)

MACAUHUB FRENCH