China aumenta presença cultural em Cabo Verde

4 December 2014

O Instituto Confúcio vai ter uma delegação na Universidade de Cabo Verde e a China vai abrir um Centro Cultural no arquipélago em 2016, disse quarta-feira em Pequim o ministro dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde, Jorge Tolentino.

O instituto, organismo criado há dez anos pelo governo chinês para promover a língua e a cultura chinesas no exterior, já tem uma delegação em Maputo e em breve estará também em Luanda.

Jorge Tolentino confirmou que a Guarda Costeira cabo-verdiana receberá em Fevereiro duas embarcações chinesas para “patrulhamento marítimo” e “operações de prevenção e controlo de actividades ilícitas”, nomeadamente pesca ilegal e tráfico de droga.

Quanto ao futuro da cooperação sino-cabo-verdiana, Jorge Tolentino destacou o chamado “agrupamento do mar”, sector com “várias valências”, do ensino à construção naval, passando pela pesca e a investigação da oceanografia.

“Queremos uma forte parceria com a China neste domínio. Temos o maior entendimento nesta matéria e estamos agora na fase de traduzir esse entendimento em acções concretas”, disse ainda à agência noticiosa Lusa.

No final de dois dias de contactos políticos em Pequim, Jorge Tolentino considerou excelentes as relações Cabo Verde-China e disse que a avaliação do seu governo sobre a cooperação bilateral “é a melhor.”

Além do seu homólogo, Wang Yi, Jorge Tolentino encontrou-se com o vice-presidente chinês, Li Yuanchao.

O ministro cabo-verdiano visitará quinta-feira a ilha de Ainão e a seguir Macau, última etapa de uma visita de uma semana à China.(Macauhub/CN/CV/MO)

MACAUHUB FRENCH