Novo gasoduto entre Moçambique e África do Sul pode custar 6000 milhões de dólares

10 December 2014

O grupo SacOil Holdings vai desenvolver com as autoridades moçambicanas e sul-africanas um estudo de viabilidade técnico-comercial para a construção de um gasoduto que ligue o norte de Moçambique à África do Sul, informou o grupo sul-africano em comunicado.

O empreendimento pretende aproveitar as potencialidades comerciais das reservas de gás natural descobertas na bacia sedimentar do Rovuma, na província de Cabo Delgado, e envolve a construção de um gasoduto com uma extensão de 2600 quilómetros e um custo estimado em 6000 milhões de dólares.

Para a realização do estudo de viabilidade técnico-comercial, a SacOil Holdings estabeleceu um acordo de desenvolvimento conjunto com as instituições públicas moçambicana Instituto Nacional de Gestão das Participações do Estado (Igepe) e sul-africana Public Investment Corporation SOC Limited (PIC), lê-se no comunicado.

Considerando o desenvolvimento das economias regionais de países como o Zimbabué, Zâmbia, Maláui e Botsuana, o empreendimento visa, sobretudo, o fornecimento de energia à África do Sul, mas também a Moçambique, onde se espera que se venham a ser construídas infra-estruturas para o aproveitamento do gás natural em várias das suas províncias.

A produção de energia através de centrais termoeléctricas, assim como o fornecimento de gás para indústrias, consumo doméstico e veículos serão alguns dos objectivos que serão avaliados pelo estudo de viabilidade, que deverá procurar apresentar as potencialidades do gás natural enquanto energia limpa para a redução das emissões de carbono e as taxas ambientais que lhe estão associadas.

Se a construção do empreendimento avançar, passará a ser o segundo gasoduto que os dois países partilham, dado que existe já um que liga a província de Inhambane, no sul de Moçambique, a Komatipoort, na África do Sul, e que foi desenvolvido pela Sasol, grupo sul-africano que explora gás natural nas localidades moçambicanas de Pande e Temane.

Grandes reservas de gás natural foram descobertas ao longo dos últimos quatro anos na bacia do Rovuma, onde o governo moçambicano estima que existam 200 biliões de pés cúbicos de gás natural. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH