Défice orçamental de Angola poderá aumentar em 2015 para 14% do PIB

29 December 2014

A queda dos preços do petróleo pode fazer com que o défice orçamental de Angola em 2015 se situe em 14% do Produto Interno Bruto, quase o dobro do previsto na proposta de Orçamento de Estado já aprovada pelo parlamento, de acordo com uma consultora britânica.

Em relatório recente citado pela imprensa portuguesa, a consultora Capital Economics afirma que o excedente de 4% obtido no ano passado pode transformar-se num défice das contas públicas de 14%, quase o dobro do desequilíbrio orçamental de 7,6% previsto pelo governo.

“A queda nos preços do petróleo nos últimos meses faz-nos antecipar que o crescimento na Nigéria e no Gana enfrente dificuldades e que Angola deslize para uma recessão em 2015”, diz a consultora.

Além do impacto no crescimento económico e nos desequilíbrios orçamentais, a Capital Economics prevê também que em países como a Nigéria, Gana e Angola, “as moedas fiquem pressionadas, a inflação se mantenha alta e as taxas de juro sejam aumentadas.”

Entretanto, o preço do barril de Brent encerrou a semana passada a 59,67 dólares, sendo a segunda vez desde o segundo trimestre de 2009 que o valor no fecho da sessão desce abaixo dos 60 dólares.

A queda nos preços do barril, que no caso de Angola atingiu 23 dólares este ano, fez com que as receitas fiscais – Imposto sobre o Rendimento do Petróleo, Imposto sobre a Produção de Petróleo, Imposto sobre a Transacção de Petróleo e receitas da concessionária Sonangol – tenham caído em Novembro para 1728 milhões de dólares em Novembro, o valor mensal mais baixo do ano.

Em Novembro último, o preço médio de cada barril exportado a partir das dez áreas de produção identificadas no relatório do Ministério das Finanças sobre as receitas ordinárias cifrou-se em 84,5 dólares, contra 107,7 dólares no mês homólogo de 2013. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH