Grupo Banco Mundial estuda investimento para fábrica de cimento em Bissau

13 January 2015

O Grupo Banco Mundial está a avaliar a possibilidade de financiar o projecto de uma fábrica de cimento, na capital da Guiné-Bissau, com capacidade de produção de 200 mil toneladas por ano, segundo escreve a agência Lusa.

O projecto é liderado pelo empresário senagalês, Maxime Cardoz e pela Scancem, subsidiária da HeidelbergCement, empresa alemã de cimento e materiais de construção, uma das maiores cimenteiras mundiais.

Os interessados na construção da fábrica pediram um empréstimo de 11 milhões de euros, metade do valor do projecto estando prevista uma decisão até final de Fevereiro.

A International Finance Corporation (IFC) – parte do Grupo Banco Mundial que está a analisar o projecto – refere num documento que a Lusa teve acesso que o objetivo passa por substituir o cimento existente no mercado guineense, que é todo importado e apontam a possibilidade de, no futuro, a fábrica poder vir a fornecer regiões de países vizinhos, como o sul do Senegal e norte da Guiné-Conacri.(Macauhub/GW)

MACAUHUB FRENCH