Banco Mundial apoia Timor-Leste a melhorar lei do investimento privado

16 January 2015

A Agência Especializada do Investimento (AEI) de Timor-Leste está a trabalhar com o Banco Mundial a fim de melhorar a lei de investimento privado, disse Tony Duarte, presidente da agência.

Duarte disse ainda que o apoio técnico a ser prestado pelo Banco Mundial visa igualmente concluir um “mapa de investimento que identifique obstáculos, constrangimentos e também oportunidades para o investimento.”

Dados divulgados pela AEI dão conta que desde 2006 o governo de Timor-Leste já concedeu 163 certificados a investidores – 110 estrangeiros, 51 nacionais e dois consórcios, um dos quais o projecto luso-timorense para a criação do Serviço Nacional de Cadastro (SNC).

Em causa estão investimentos que excedem 880 milhões de dólares representando a criação de 17,5 mil postos de trabalho.

Entre eles um investimento de 310 milhões de dólares de uma empresa de Singapura, para criar um complexo hoteleiro de cinco estrelas entre Dili e Tibar, o Pelican Paradise, que empregará até duas mil pessoas, em empregos directos e indirectos e cuja primeira pedra é lançada dentro de dois meses.

Por outro lado iniciam-se em breve os trabalhos de construção da nova unidade fabril da Heineken, investimento de 40 milhões de dólares, e vai ser ainda fechado em breve um outro acordo com uma empresa indonésia para um centro hoteleiro em Dili, projecto de 10 milhões de dólares.

A Agência Especializada do Investimento (AEI) de Timor-Leste nasceu formalmente a 1 de Janeiro, substituindo a anterior estrutura de investimento TradeInvest, indo funcionar não só como um filtro de investimento mas também como um balcão para responder a todas as questões, incluindo as relacionadas com benefícios aduaneiros e fiscais. (Macauhub/TL)

MACAUHUB FRENCH