Moçambique encomenda três novas embarcações militares

27 January 2015

O governo de Moçambique encomendou três novas embarcações militares HS132 à empresa francesa Constructions Mecaniques de Normandie, com a qual o executivo moçambicano mantém um acordo de fornecimento de vários navios, informou o sítio especializado Navy Recognition.

As três lanchas rápidas recentemente encomendadas juntam-se a um lote de outras três embarcações do mesmo modelo, que o governo moçambicano adquiriu àqueles estaleiros navais em Setembro 2013, num contrato de cerca de 200 milhões de euros, que previa ainda o fornecimento de três navios patrulha Ocean Eagle 43 e 24 arrastões.

Citando fontes ligadas à francesa Constructions Mecaniques de Normandie (CMM), o portal electrónico refere que a empresa tenciona entregar até meados deste ano a última das três lanchas rápidas inicialmente encomendadas, devendo Moçambique receber as restantes a partir do final de 2015, uma a cada dois meses.

As embarcações militares HSI32 têm um comprimento de 32,2 metros e uma largura de 6,4 metros, podem atingir uma velocidade de até 43 nós e dispõem de uma autonomia máxima de 800 milhas náuticas (12 nós) ou mínima de 580 milhas (33 nós).

Os seus radares de vigilância incluem sensores electro-ópticos, que transmitem, via satélite, imagens e outros dados, podendo, opcionalmente, ser equipadas com um canhão de 20 milímetros e duas metralhadoras de 12,7 milímetros, entre outras armas “ideais para missões de combate à pirataria, terrorismo e contrabando”.

A imprensa electrónica francesa adianta também que o custo das três embarcações pode variar entre 25 milhões e 30 milhões de euros.

Num comunicado divulgado no final da semana passada, a CMM avançou que o primeiro navio patrulha Ocean Eagle 43 destinado a Moçambique foi lançado à água recentemente, encontrando-se em fase de testes, pelo que poderá ser entregue nos próximos meses às autoridades moçambicanas.

Até ao final de 2014, a empresa tinha entregado pelo menos cinco dos 24 navios pesqueiros encomendados, que vão ser explorados pela estatal Empresa Moçambicana de Atum (Ematum). (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH