China atenta a Macau enquanto plataforma de cooperação com os países de língua portuguesa

28 January 2015

O Ministério do Comércio da China está atento ao papel de Macau como plataforma ao serviço da cooperação comercial entre a China e os países de língua portuguesa, disse terça-feira o Chefe do Executivo, Chui Sai On.

Ao efectuar um balanço da sua visita a Pequim no decurso da qual apresentou ao governo central propostas para o 13º plano quinquenal, Chui disse ter mantido reuniões na Administração Estatal de Medicina Tradicional Chinesa, no Ministério do Comércio e na Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma.

O Chefe do Executivo adiantou que no decurso do próximo plano quinquenal Macau deve continuar empenhado em servir de “Plataforma de serviços de cooperação económica e comercial entre a China e os países de língua portuguesa” para se avançar para uma “macro cultura” que consiste na integração da cultura e inovação nas diversas indústrias, de modo a que esta plataforma possa integrar novos elementos nas diferentes áreas e consequentemente empenhar-se na sua promoção.

Chui Sai On indicou que Macau, além de se tornar uma plataforma ao serviço da cooperação comercial entre a China e os países de língua portuguesa, irá reforçar os trabalhos para concretizar o objectivo de se tornar num centro internacional de turismo e lazer.

No âmbito da cooperação regional, além de Nansha, em Cantão e da ilha de Hengqin, em Zhuhai, Chui disse ter Macau entregado já um pedido oficial ao governo central para criar, através da cooperação com Zhongshan, uma zona piloto de cooperação geral entre Guangdong e Macau.

Além disso, o Chefe do Executivo manifestou igualmente o desejo de obter mais apoio noutras áreas, incluindo o desenvolvimento da zona do comércio livre em Guangdong, bem como através de novos suplementos ao Acordo de Estreitamento das Relações Económicas e Comerciais entre o Interior da China e Macau (CEPA) e a ajuda para as pequenas e médias empresas de Macau no âmbito da liberalização, reforma e inovação do comércio.

Chui revelou ainda que a Administração Estatal de Medicina Tradicional Chinesa concordou, no âmbito da diversificação da economia de Macau e do desenvolvimento da indústria de medicina tradicional chinesa, apoiar o sistema de definição de padrões internacionais, para que se possa integrar o laboratório de referência, o centro médico tradicional e o Parque Científico e Industrial de Medicina Tradicional Chinesa de Guangdong e Macau, para que se avance no desenvolvimento da medicina tradicional chinesa em Macau. (Macauhub/CN/MO)

MACAUHUB FRENCH