Banco de Moçambique quer aumentar número de bancos e de agências

29 January 2015

O Banco de Moçambique vai continuar a desenvolver acções no sentido de aumentar e diversificar as instituições financeiras que operam no país bem como alargar a abrangência dos serviços prestados, afirmou o governador Ernesto Gove.

O governador adiantou ter ocorrido em 2014 a abertura de mais 52 balcões de bancos, elevando o número de agências bancárias em funcionamento para 572 e de quatro balcões de micro bancos, que passaram a totalizar 37.

A estes balcões, adicionam-se ainda oito agências de cooperativas de crédito, perfazendo 617 agências de instituições de crédito presentes em todas as capitais provinciais, municípios e em 69 distritos do país.

Registou-se ainda a entrada no mercado de 52 novas instituições de microcrédito, passando para um total de 285, de acordo com a agência noticiosa AIM.

Ernesto Gove falava quarta-feira na sessão de abertura do 39º Conselho Consultivo do Banco de Moçambique, que junta os quadros do banco central para, durante três dias, fazer o balanço das recomendações do anterior Conselho, elaborar o plano estratégico para o triénio 2015/17 e reflectir sobre as medidas de políticas tomadas pelo banco central durante o período de 2010/14.

Gove disse ainda que o banco iniciou, em 2014, a aplicação efectiva de Basileia II, cujos critérios impuseram ao sistema bancário um conjunto de desafios em termos de organização e classificação de informação para efeitos de reporte prudencial.

O governador destacou ainda o lançamento do Programa de Educação Financeira, visando garantir maior conhecimento do funcionamento das instituições financeiras, seus produtos e serviços, e, deste modo, assegurar uma maior protecção aos consumidores contra eventuais práticas comerciais desleais. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH