Diamantes extraídos em Angola vão ser utilizados na produção de jóias

5 February 2015

O fabrico de jóias com os diamantes extraídos em Angola será progressivamente feito no país, afirmou recentemente o presidente da Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama), António Carlos Sumbula.

“Numa primeira fase, o fabrico de jóias será feito no exterior mas depois, a pouco e pouco, será feito em Angola”, disse, no decurso da reabertura da fábrica de lapidação Angola Polishing Diamonds.

Carlos Sumbula informou que a fábrica vai produzir jóias com parceiros internacionais, que não especificou, e acrescentou que, atendendo ao facto de fazer jóias ser diferente de lapidar, irá haver na fábrica um centro para formar os técnicos angolanos.

O presidente da Endiama informou também que vai ser iniciado o processo de construção de mais fábricas de lapidação, além do que serão estabelecidas parcerias internacionais e nacionais para se fabricar um número de jóias cada vez maior.

Sumbula adiantou haver já o interesse de algumas empresas francesas em comercializarem as jóias produzidas em Angola, nomeadamente em Mónaco e Cannes, e acrescentou já dispor de orientações governamentais para esse efeito.

A fábrica Angola Polishing Diamonds, da Sociedade de Comercialização de Diamantes de Angola (Sodiam), subsidiária da estatal angolana Empresa Nacional de Diamantes de Angola, representou um investimento inicial de 10 milhões de dólares, envolvendo aquando da sua constituição, em 2005, uma parceria com investidores estrangeiros.

Angola é o terceiro maior produtor de diamantes de África em quantidade e em valor, com uma produção de oito milhões de quilates, apenas ultrapassado pelo Botsuana, o maior produtor mundial com cerca de 38 milhões de quilates, e pela República Democrática do Congo, com 30 milhões de quilates.

Os dados estatísticos apontam para uma produção em torno de 8,3 milhões de quilates, com receita bruta na ordem de 1100 milhões de dólares/ano. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH