Goldman Sachs lidera emissões de dívida soberana de Angola

9 February 2015

O governo de Angola escolheu o banco de investimento Goldman Sachs para liderar um grupo de bancos internacionais que serão agentes em “representação da República de Angola” na emissão de dívida soberana, de acordo com um despacho presidencial.

No despacho citado pela agência noticiosa Lusa o Presidente da República aprova a concessão de uma “carta-mandato” conferindo às instituições financeiras Goldman Sachs International, BNP Paribas e Banco Industrial e Comercial da China (ICBC) autorização para actuarem como bancos agentes em representação de Angola nas emissões soberanas que o país vier a fazer.

A decisão é justificada, no mesmo despacho, com a “estratégia do governo no que respeita à diversificação das fontes de financiamento” visando a “prossecução de objectivos económicos e sociais de interesse público indispensáveis ao desenvolvimento nacional.”

“Em particular dos programas de investimento públicos e de outros programas e projectos de interesse nacional enquadrados no Plano Nacional de Desenvolvimento de Angola”, lê-se no despacho.

Esta medida justifica-se, de acordo com o despacho presidencial, pela “actual conjuntura macroeconómica mundial”, tendo em conta a forte quebra na cotação internacional do barril de petróleo e pretende permitir o recurso aos “mercados de capitais internacionais da dívida soberana,”

O “stock” de dívida pública angolana atingirá em 2015, na última previsão do Ministério das Finanças, 48,3 mil milhões de dólares, o que corresponde a 35,5% do PIB, entre dívida externa (24,5%) e dívida contraída internamente (11%). (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH