Moody’s revê de estável para negativo a perspectiva de evolução de Angola

6 March 2015

A agência Moody’s reviu em baixa a perspectiva de evolução de Angola, de estável para negativo, mantendo a notação de risco actual em “Ba2”, devido aos riscos decorrentes da queda dos preços do petróleo, informou a agência em comunicado divulgado quinta-feira.

A Moody’s alertou, no entanto, para o facto de que mantendo-se as condições actuais é mais provável que a prazo haja uma descida da avaliação do que uma manutenção ou uma subida mesmo da qualidade do crédito.

“A afirmação da notação de risco Ba2 é apoiada pela força da economia de Angola e pelas almofadas orçamentais do governo”, enquanto a descida da perspectiva de evolução da avaliação “é impulsionada pelos riscos para o crescimento económico, finanças públicas e posição nos pagamentos externos que decorrem da descida dos preços do petróleo”, pode ler-se no comunicado da Moody’s.

Na argumentação avançada para a manutenção da notação de risco do país, que se mantém no nível abaixo da recomendação de investimento, a Moody’s salientou que “apesar da forte queda do preço do petróleo e das incertezas que rodeiam o médio prazo, o perfil de crédito soberano de Angola mostra um determinado número de pontos fortes”, começando pela previsão de crescimento, “que provavelmente manter-se-á positiva, à volta de 3% este ano.”

A Moody’s baseia a sua previsão de crescimento da economia de Angola (num valor que é menos de metade do previsto pelo governo no Orçamento de Estado rectificativo) “no aumento da produção de petróleo este ano com novos projectos que devem fazer a produção chegar a 1,83 milhões de barris por dia, um aumento face à média de 1,66 milhões em 2014.” (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH