Brasil pretende instalar centros de investigação de algodão em Moçambique

17 March 2015

Um equipa de investigadores do Brasil está desde a semana passada nas províncias de Tete e Manica, centro de Moçambique, para avaliar a possibilidade de ali instalar duas unidades experimentais de pesquisa de algodão, noticiou o jornal Correio da Manhã.

A equipa deslocou-se já às bacias do Baixo Chire e do Zambeze para avaliar da possibilidade de instalar as duas unidades, cuja construção está prevista para o ano em curso.

Uma fonte do Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar de Moçambique disse ao jornal que o objectivo central deste projecto é o de proceder à transferência de tecnologias brasileiras no cultivo de variedades de algodão com maior rendimento e mais resistentes às diversas pragas e de favorecer a exportação de equipamentos agrícolas.

A equipa presentemente em Moçambique enquadra-se no âmbito do projecto regional de fortalecimento do sector algodoeiro nas bacias de Chire e Zambeze, rubricado pelo Instituto do Algodão de Moçambique (IAM) e Agência Brasileira de Cooperação (ABC), indo escalar na província de Tete os distritos de Mágoè, Cahora Bassa, Moatize e Mutarara.

Entretanto, o Instituto do Algodão de Moçambique reviu em baixa a meta de produção de algodão até finais de 2015, fixada em cerca de 98 mil toneladas, apontando as fortes chuvas que abalaram recentemente as regiões centro e norte do país como a principal causa.(Macauhub/BR/MZ)

MACAUHUB FRENCH