Banco Mundial presta assistência técnica a projecto florestal em Moçambique

20 March 2015

Técnicos da Corporação Financeira Internacional (IFC), grupo Banco Mundial, vão apoiar o projecto de investimento florestal da Portucel Moçambique, nos termos de um acordo assinado quinta-feira em Maputo.

Ao abrigo do acordo, a IFC vai aconselhar a Portucel Moçambique “no reforço da sustentabilidade das suas operações florestais” no país, um projecto de produção de pasta de papel e energia, com um investimento associado de 2,3 mil milhões de dólares e uma forte componente de trabalho comunitário.

“O nosso compromisso vê-se, além dos sete mil empregos que vamos criar, pelo facto de sermos uma das poucas empresas, senão a única, que em Moçambique associou ao seu projecto o investimento de 40 milhões de dólares no desenvolvimento comunitário”, disse hoje Diogo da Silveira, director executivo do grupo Portucel Soporcel, de que a Portucel Moçambique é subsidiária.

O acordo envolve uma parceria com a IFC, que é desde Dezembro accionista do projecto, com 20%, através da qual uma equipa de técnicos da instituição internacional prestará assessoria durante dois anos no trabalho junto das comunidades, abrangendo 130 mil pessoas nas províncias de Manica e Zambézia.

O montante do acordo envolve uma verba acima de um milhão de dólares, disse Diogo da Silveira à agência noticiosa Lusa, sem avançar o valor preciso, na assessoria da IFC, “que tem muita experiência neste tipo de projectos.”

O investimento, descrito pela Portucel Moçambique como “o maior projecto integrado de produção florestal para produção de celulose e energia através de biomassa em África”, destina-se integralmente à exportação, com vendas anuais estimadas em mil milhões de dólares, a partir de 2023, o que o torna também, segundo Jin-Yong Cai, director executivo da IFC, “no maior negócio fora dos sectores extractivo e de infra-estruturas” no país. (Macauhub/MZ/PT)

MACAUHUB FRENCH