Economia de Cabo Verde registou maior crescimento em Janeiro/Fevereiro

8 April 2015

O indicador de procura interna, após alguma desaceleração em finais de 2014, apresentou um ritmo de crescimento ligeiramente mais acelerado nos dois primeiros meses do ano, determinado sobretudo pelo comportamento do indicador da formação bruta de capital fixo (FBCF), de acordo com o Banco de Cabo Verde.

O indicador de investimento (FBCF) manteve a tendência de recuperação iniciada em 2014, exibindo alguma estabilização no crescimento desde Novembro de 2014. O maior dinamismo da FBCF foi suportado pelos aumentos das importações de bens de construção e de equipamento, continuamente movidos por investimentos do sector público e externos.

As condições de financiamento internas continuaram a evoluir negativamente para o sector privado nacional, enquanto a nível externo os indicadores dos mercados financeiros da área do Euro continuaram a apresentar uma tendência de ligeira atenuação das restrições.

Num documento divulgado recentemente, o banco central do arquipélago refere ainda que a procura interna continuou a suportar o dinamismo da actividade económica, dado que a procura externa manteve um comportamento desfavorável.

O banco disse ainda que o indicador de consumo manteve a tendência de recuperação que vinha a evidenciar desde finais de 2014, suportado pelo consumo de bens duradouros.

No documento, afirma-se que as receitas de turismo captadas pelos bancos registaram uma diminuição de 19,1%, não obstante o aumento da capacidade da oferta e dos preços no sector.

Constrangimentos de ordem estrutural (infra-estruturas, carga fiscal e diversificação da oferta), que limitam a capacidade dos operadores nacionais competirem com outros mercados, poderão estar a contribuir para estes resultados, ainda de acordo com o Banco de Cabo Verde. (Macauhub/CV)

MACAUHUB FRENCH