Empresa portuguesa inicia transformação de resíduos em energia em São Tomé e Príncipe

15 April 2015

A empresa portuguesa de tecnologia ambiental Ecovisão iniciou em São Tomé e Príncipe um projecto de transformação de resíduos em energia, visando, sobretudo, a protecção florestal no arquipélago, disse terça-feira em São Tomé o director-geral do Ambiente.

Arlindo Carvalho disse que o projecto, com um custo estimado em mais de 700 mil dólares na sua primeira fase, conta com financiamento do Fundo Português do Carbono e está a ser desenvolvido em parceria com a Direcção-Geral do Ambiente do Ministério dos Recursos Naturais de São Tomé e Príncipe.

“Trata-se de uma fase de teste com o objectivo de se substituir a utilização de madeira como combustível, diminuindo a emissão de gases e protegendo a floresta”, adiantou Arlindo de Carvalho, momentos após o lançamento do projecto na presença de Maria Martins, representante da empresa portuguesa.

Além de fomento de energia renovável, o projecto tem como pano de fundo a protecção da floresta, sobretudo na zona norte da ilha de São Tomé, (Guadalupe e Neves), devastada em consequência de derrube de árvores para a utilização como lenha e para a produção de carvão vegetal, bem como para a construção de casas em madeira.

Além do Fundo Português do Carbono, este projecto conta ainda com o apoio de outros parceiros externos, nomeadamente a Organização das Nações Unidas, Banco Africano de Desenvolvimento e Taiwan.

A Ecovisão, com 18 anos de actividade, é uma empresa que actua na área do ambiente, ao nível da prestação de serviços, estudos e projectos, tratamento de água e de resíduos e bioenergia, estando presente em diversos países, casos de Angola, Cabo Verde e Moçambique. (Macauhub/PT/ST)

MACAUHUB FRENCH