Guiné-Bissau quer exportar mais caju na campanha de 2015

20 April 2015

O governo da Guiné-Bissau pretende aumentar a exportação de castanha de caju de 150 mil para 200 mil toneladas na campanha anual de comercialização iniciada sábado, anunciou o ministro do Comércio, Serifo Embaló.

O ministro disse que o governo vai apostar em mais mercados, como o Vietname e a China (além do principal comprador de caju que é a Índia), e deverá impor medidas acrescidas de repressão de contrabando.

O ministro do Comércio admitiu ter havido “muito contrabando” na campanha de 2014 através de “circuitos paralelos” para o Senegal, referiu Serifo Embaló numa intervenção, em Março, no parlamento guineense.

Qualquer operador que seja apanhado este ano em exportação ilegal verá confiscado, a favor do Estado, o camião, a mercadoria e ainda terá que pagar uma multa, adiantou o ministro, de acordo com a agência noticiosa Lusa.

A cerimónia oficial de abertura da época de comercialização e exportação da castanha de caju, promovida pelo Ministério do Comércio e Artesanato, decorreu sábado, em São Domingos (norte da Guiné-Bissau).

Entre outras medidas para a campanha deste ano, o ministro mencionou a abertura de quatro básculas em Bissau, para evitar filas de camiões na baixa da capital junto ao porto comercial e a obrigatoriedade de o exportador apresentar o respectivo boletim de exportação antes de o produto entrar num navio. (Macauhub/GW)

MACAUHUB FRENCH