Grupo da China poderá financiar projecto de grafite em Moçambique

28 April 2015

A Triton Minerals assinou uma carta de intenções com o grupo de capitais chineses Shenzhen Zhongjin Qianhai, com vista a obter um financiamento de 200 milhões de dólares para um projecto de exploração de grafite em Moçambique, anunciou na segunda-feira a mineira australiana.

O acordo final terá de ser formalizado até ao final do mês de Junho e prevê um investimento directo de 100 milhões de dólares por parte da Shenzhen Zhongjin Qianhai Group Co., Ltd (SZQG) no capital próprio da Triton Minerals, devendo o valor remanescente ser concedido através de um empréstimo, indicou a empresa australiana num comunicado enviado à macauhub em Maputo.

Entre as contrapartidas exigidas pelo grupo chinês pelo empréstimo destaca-se o fornecimento anual de 200 mil toneladas de grafite concentrado ao longo de uma década, pelo projecto de monte Nicanda, no norte de Moçambique, ao preço mínimo de 750 dólares por tonelada.

A Triton Minerals antecipa que o montante mínimo deste acordo de fornecimento será de 1,5 mil milhões de dólares, considerando que este vai assegurar o investimento necessário para o início das actividades de exploração de grafite neste depósito, “a maior reserva mundial de grafite conhecida”, que está inserido na concessão de Balama Norte, uma das três que a empresa explora em Moçambique.

Com sede na cidade de Shenzhen, província de Guangdong, o grupo SZQG actua nos ramos financeiro, de retalho e comércio, gerindo uma carteira de activos avaliada em cerca de 10 mil milhões de dólares, indica a nota de imprensa da Triton Minerals.

Desde o início do ano, a mineira australiana já estabeleceu pelo menos dois importantes acordos com grupos de capitais chineses, procurando obter financiamento para os seus projectos de exploração de grafite em Moçambique.

O mais relevante foi anunciado no início do mês de Abril e envolve um contrato com a Yichang Xincheng Grafite Co. (YXGC), que tem a duração de 20 anos e que garante à Triton Minerals a detenção dos direitos exclusivos de fornecimento de grafite a esta empresa no Malaui, Madagáscar e Tanzânia, além de Moçambique.

O contrato comercial assegura um preço de venda mínimo de 1000 dólares por cada tonelada de grafite que a empresa chinesa venha a adquirir durante os 20 anos de duração do contrato, tendo o valor do negócio sido fixado num mínimo de 2000 milhões de dólares.

A Triton Minerals possui uma participação maioritária de 80% nos três projectos que explora em Moçambique – Ancuabe, Balama Norte e Balama Sul – cabendo a restante fatia (20%) à Grafex Ltd. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH