Exportações de Moçambique com quebra de 5% em 2014

30 April 2015

As exportações de Moçambique registaram uma quebra de 5% em 2014, tendo atingido 3916 milhões de dólares, num período em que também as importações diminuíram 6,2%, indicou quarta-feira em Maputo o Banco de Moçambique (BM).

Globalmente, o valor das importações situou-se em 7951 milhões de dólares, contra 8479 milhões de dólares em 2013, salienta o banco central moçambicano no documento “Conjuntura Económica e Perspectivas de Inflação”, a que a macauhub teve acesso.

Mas, se excluídos os grandes projectos, a quebra nas exportações foi de 22,8% (1486 milhões de dólares), enquanto nas importações foi apenas de 1,2% (6549 milhões de dólares), lê-se ainda no documento.

Ultrapassando 200 milhões de dólares, o tabaco liderou em termos de valor as exportações de produtos tradicionais, tendo atrás a madeira, o açúcar e o algodão, todos com um valor superior a 100 milhões de dólares.

Nos grandes projectos o alumínio foi o produto com o maior valor de exportação, embora tenha caído de 1063,2 milhões de dólares, em 2013, para 1052,3 milhões de dólares, em 2014, numa situação semelhante à do carvão, cuja quebra foi de 12,2 milhões de dólares, para 490,7 milhões de dólares.

Com um comportamento favorável estiveram as exportações de energia eléctrica, que aumentaram em 85,2 milhões de dólares, para 355,3 milhões de dólares, de gás, com um aumento de 110,3 milhões de dólares (339,9 milhões de dólares) e de areias pesadas, representando um crescimento de 56,5 milhões de dólares (191,3 milhões de dólares).

Na importação destacam-se os combustíveis, que representam a maior parcela da factura, ultrapassando a quantia de 1200 milhões de dólares.

O BM salienta que a conjuntura internacional de redução dos preços dos bens está a ter um impacto positivo em Moçambique na importação de combustíveis, mas negativo nas exportações de produtos, como o carvão, tabaco e algodão.

A instituição financeira refere que a taxa de crescimento do produto interno bruto se situou em 7,4% em 2014, notando que a desvalorização do metical provocou um desgaste de 393,4 milhões de dólares nas reservas internacionais líquidas durante o primeiro trimestre de 2015.

Apesar dos impactos das cheias nos dois primeiros meses do ano e da desvalorização do metical, a inflação tem-se mantido estável e em linha com a previsão do governo (em torno de 5,1%), assegura, por outro lado, o banco central. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH