Construção de matadouro em Angola permite reduzir importação de carne

5 May 2015

A construção de um matadouro industrial na região sul de Angola irá permitir a redução da importação de carne para consumo humano, afirmou o director-geral da Cooperativa de Criadores de Gado do Sul de Angola (CCGSA).

Álvaro Fernandes disse à agência noticiosa Angop que a construção do matadouro foi aprovada recentemente pelo Conselho de Ministros e adiantou que mal as estruturas competentes dêem o aval será seleccionada a província da região sul do país onde o mesmo será construído.

O matadouro, que será fiscalizado pela CCGSA, disporá de todos os requisitos exigidos internacionalmente, que passam pelas áreas de abate, desmanche, acondicionamento, transporte, frio e talhos para poderem comercializar o produto.

A província da Huíla dispõe de um matadouro, que funciona a “meio gás”, assim como casas de abate informais.

A Cooperativa de Criadores de Gado do Sul de Angola tem 64 associados das províncias da Huíla, Namibe, Cunene, Benguela, Huambo e Cuanza Sul, com um efectivo estimado em mais de 25 mil cabeças de gado bovino de raça e melhorada.

No final de Abril, o ministro da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Afonso Pedro Canga, disse que Angola despende anualmente 500 milhões de dólares na importação de 100 mil toneladas de carne de vaca.

O ministro, ao falar num encontro com produtores por ocasião do 11º aniversário da constituição da CCGSA, disse que o dinheiro gasto na importação de carne de vaca é uma quantia bastante avultada, “situação que deve ser alterada urgentemente.” (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH