FMI vai apoiar São Tomé e Príncipe com programa de ajuda a três anos

8 May 2015

A missão do Fundo Monetário Internacional que esteve em São Tomé e Príncipe nas duas últimas semanas acordou com o governo do arquipélago um programa económico com um envelope financeiro de 6,24 milhões de dólares, ou 60% da quota do país na instituição, de acordo com um comunicado quinta-feira divulgado em Washington.
O anúncio, que se segue a uma visita ao arquipélago entre 24 de Abril e 7 de Maio, para analisar o programa financeiro e económico do país, será agora debatido ao nível da direcção do FMI, que deverá, até Julho, tomar a decisão de aprovar esta proposta técnica que será apoiada por um crédito alargado de três anos (“Extended Credit Facility”, no original em inglês).

O chefe da missão do FMI, Maxwell Opoku-Afari, afirma no comunicado que “o desempenho macroeconómico recente de São Tomé e Príncipe tem sido genericamente positivo” e salientou que apesar do crescimento económico ter sido frouxo desde o abrandamento para 4% em 2012, “existem sinais encorajadores, nomeadamente o aumento do investimento directo estrangeiro e o apoio estável dos doadores internacionais”, que fizeram o PIB acelerar para um crescimento de 4,5% no ano passado.

O principal objectivo do programa a que o FMI deverá agora dar o seu acordo e apoio é “manter a dívida pública num caminho sustentável através da consolidação orçamental e ao mesmo tempo criar espaço para despesa pública reprodutiva.”

Entre as metas partilhadas pelo governo do primeiro-ministro Patrice Trovoada e agora pelo FMI estão o fortalecimento da mobilização da receita fiscal, a racionalização da despesa, a gestão da dívida pública, a introdução de um plano abrangente para eliminar as dívidas do Estado, reforçar a supervisão financeira e a legislação aplicável aos bancos, melhorar o ambiente empresarial e alargar os níveis de assistência técnica às instituições governamentais. (Macauhub/ST)

MACAUHUB FRENCH