Angola reduz despesas que envolvam moeda estrangeira

12 May 2015

O governo de Angola vai limitar as despesas que envolvam moeda estrangeira, dado que a queda dos preços do petróleo está a reduzir as receitas do Estado, afirmou segunda-feira em Luanda o governador do Banco Nacional de Angola, citado pela agência Angop.

José Pedro de Morais, que usava da palavra na sessão de encerramento do I Fórum Nacional de Investimento em Dívida Pública, disse que atendendo à escassez de divisas as autoridades vão “racionar a utilização de dólares até que as receitas geradas com a exportação de petróleo voltem aos carris.”

O governador do banco central informou que 70% dos gastos públicos são suportados pelas receitas petrolíferas e que “o dólar tornou-se mais difícil de adquirir por os preços do petróleo terem recuado 43% desde Junho”, factor que está a contribuir para a desvalorização da moeda nacional, o kwanza.

O pacote legislativo aprovado em 2012 que obrigou as empresas petrolíferas a efectuar os pagamentos aos fornecedores e os salários em moeda Angola, contribuiu ainda mais para reduzir a oferta de dólares em alguns sectores da economia.

Em Fevereiro passado, as reservas sobre o exterior de Angola ascendiam a 26,2 mil milhões de dólares, de acordo com dados do Banco Nacional de Angola.

Entretanto, o banco central reduziu em 3,2% a venda de divisas à banca comercial angolana na semana de 4 a 8 de Maio para 300 milhões de dólares, contra 310 milhões na semana imediatamente anterior.

Durante Abril, a injecção de divisas pelo BNA rondou (até) 310 milhões de dólares semanais, mas persistem as dificuldades de empresas e clientes no acesso a divisas nos bancos comerciais.

Cada nota de dólar é actualmente transaccionada nas ruas de Luanda a mais de 150 kwanzas, contra uma taxa média no mercado interbancário de 110,047 kwanzas por dólar, havendo empresas que estão a reduzir a actividade devido à falta de divisas para importar as matérias-primas de que necessitam. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH