Brasil e China assinam 35 acordos de cooperação

20 May 2015

O Brasil e a China assinaram terça-feira em Brasília 35 acordos de cooperação em oito sectores que envolvem investimentos de 53 mil milhões de dólares, por ocasião da visita oficial do primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, de acordo com a imprensa brasileira.

Apenas com a Petróleos do Brasil (Petrobras) foram assinados três acordos de cooperação envolvendo pelo menos 7 mil milhões de dólares, em evento que foi presenciado pela presidente Dilma Rousseff e pelo primeiro-ministro da China, anteriormente reunidos no Palácio do Planalto.

Dos três acordos com a Petrobras, um deles, assinado pelo presidente da petrolífera, Aldemir Bendine, e pelo presidente do Banco de Desenvolvimento da China, Hu Huaibang, ascende a 5 mil milhões de dólares e outro, assinado também por Bendine e pelo presidente do Banco de Exportações e Importações (ExIm) da China envolve 2 mil milhões de dólares.

Dos 35 acordos assinados entre os dois países, outro que merece destaque diz respeito à elaboração de estudos de viabilidade do projecto ferroviário transcontinental, que prevê uma linha de caminho-de-ferro a ligar o Brasil ao Peru e os oceanos Atlântico e Pacífico.

Outros acordos prevêem a construção do complexo metalúrgico do Maranhão, financiamento para a compra de 40 aviões da Empresa Brasileira de Aeronáutica pela China, cooperação na tecnologia nuclear e criação do pólo automóvel de Jacareí, no estado de São Paulo bem como um outro relacionado com a concessão de financiamento para a construção de 14 navios de 400 mil toneladas cada para o transporte de minério de ferro.

O Brasil, que em 2014 exportou produtos no valor de mais de 51,9 mil milhões de dólares para a China, tem na soja a sua principal fonte de negócios, com 16,6 mil milhões de dólares em 2014, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

O minério de ferro representou 12,3 mil milhões, seguido do petróleo (3,5 mil milhões), a celulose (1,4 mil milhões) e o açúcar (880 milhões de dólares).

Depois do Brasil, Li Keqiang visita a Colômbia, Peru e Chile, países onde deverá igualmente assinar uma série de acordos relacionados com projectos de investimento. (Macauhub/BR/CN)

MACAUHUB FRENCH