Empresas da China iniciam construção de refinaria em Angola

4 June 2015

Angola deverá ser auto-suficiente em gasolina e gasóleo a partir de 2017, com a entrada em funcionamento da nova refinaria do Soyo, disse o presidente da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola, terça-feira na cerimónia de lançamento da primeira pedra.

A construção da futura refinaria do Soyo foi adjudicada a duas empresas chinesas, a obra deverá ficar concluída em 26 meses e vai ocupar uma área superior a 220 hectares, precisamente numa zona (província do Zaire) fortemente produtora de petróleo em Angola.

Francisco de Lemos, que estava acompanhado de Yu Hao Ming, da empresa com sede em Hong Kong China International Fund, adiantou que a conclusão do projecto irá permitir “reduzir por completo as importações dos principais produtos extraídos do petróleo, a começar pelo gasóleo, cujo défice é muito elevado, e também da gasolina.”

Angola, que é o segundo maior produtor de petróleo da África a sul do Saara, teve de importar cerca de 40% das necessidades de produtos derivados, como gasolina e gasóleo, no primeiro trimestre do ano, devido à reduzida capacidade de refinação do país.

A actual refinaria nacional, nos arredores de Luanda, foi construída em 1955 e opera a cerca de 70% da sua capacidade, sendo, de acordo com um relatório do FMI, que analisou o sector dos combustíveis em Angola, “bastante ineficiente” e com custos de produção que “superam, em geral, os dos combustíveis importados.” (Macauhub/AO/CN)

MACAUHUB FRENCH