Angola é o país africano mais afectado com a queda do preço do petróleo

11 June 2015

Angola foi o país africano mais afectado pela descida do preço do petróleo, factor que agravou as contas públicas do país e tornou mais problemática a sustentabilidade da dívida, afirmou em Londres a vice-presidente da agência Moody’s para o crédito soberano.

Rita Babihuga disse no decurso de uma conferência sobre as economias a sul do Saara que, apesar de os países africanos estarem mais bem preparados para esta crise do que estavam no final da década passada, “Angola foi o país que viu a sua situação orçamental piorar mais” nos últimos meses.

Esse facto, acrescentou, está a criar um problema para as contas do Estado, dado que a resposta do governo tem sido suprir a quebra de receitas com um aumento do endividamento externo, “o que torna cada vez mais problemática a questão da sustentabilidade da dívida”, que se aproxima dos 40% em relação ao Produto Interno Bruto.

O recurso aos mercados internacionais como fonte de financiamento foi uma das respostas que Angola adoptou para lidar com a quebra das receitas fiscais, mas a tendência já tinha começado antes, recordou o vice-presidente da Moody’s para a área financeira, Constantinos Kypreos.

O crescimento económico da África subsariana, como um todo, é encarado de forma positiva pela agência de notação financeira, que antecipa um crescimento da região entre 4% e 5%, num contexto de aproximação das taxas de crescimento das economias dos países produtores de petróleo com as dos restantes. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH