Angola deve recomeçar a atrasar-se nos pagamentos a fornecedores

12 June 2015

Angola deverá recomeçar a atrasar-se nos pagamentos a fornecedores devido à queda acentuada do preço do barril de petróleo e consequente falta de divisas, escreveu a Economist Intelligence Unit em relatório sobre o país africano.

“O governo está a tentar minorar o problema causado pela descida do preço do petróleo e consequente escassez de divisas, promovendo as iniciativas não relacionadas com o petróleo, mas a falta de reservas sobre o exterior está a manietar os esforços para desenvolver outras sectores da economia”, lê-se no documento.

A moeda nacional angolana sofreu uma desvalorização de mais de 6,6% na semana passada, de acordo com a taxa de câmbio oficial do Banco Nacional de Angola (BNA), insuficiente para travar a subida do dólar no mercado informal.

Esta desvalorização aconteceu sobretudo em três sessões diárias da semana passada, devido às condições de funcionamento do mercado cambial, mas permanece muito abaixo dos preços praticados no mercado informal, a única solução face às dificuldades dos clientes em acederem a divisas junto dos bancos comerciais.

O resultado, diz a EIU, “levou o Banco Nacional de Angola a impor restrições aos levantamentos e às transacções internacionais”, originando dificuldades para algumas empresas.

“Há várias empresas que estão a reportar dificuldades em pagar aos fornecedores estrangeiros e em processar salários, e isto criou problemas em vários sectores económicos, incluindo a construção e a indústria”, dizem os analistas.

Como sinal destas dificuldades, o Presidente angolano pediu ao governo chinês uma moratória de pelo menos dois anos no pagamento da dívida àquele país e a concessão de novas linhas de crédito ou a ampliação das já existentes. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH