Desvalorização da moeda de Angola deve-se às flutuações do mercado

17 June 2015

A recente desvalorização do kwanza ficou a dever-se às flutuações do mercado não havendo planos para uma redução discreta do valor da moeda nacional, afirmou terça-feira em Luanda o governador do Banco Nacional de Angola (BNA).

José Pedro de Morais Júnior disse que a “missão primeira” do banco central “não é defender a todo o custo a paridade do kwanza”, mas sim “provocar o ajuste da economia e criar condições” para garantir as metas de crescimento, de acordo com a agência noticiosa Lusa.

O governador, que falava à margem da apresentação de um projecto de formação financeira no sistema de ensino angolano, recordou ainda que o actual mercado cambial funciona com base em taxas flutuantes “influenciadas pelas oscilações das pressões da oferta e da procura”, neste momento agravadas pela forte necessidade de divisas.

A moeda angolana ultrapassou na segunda-feira, em termos de taxa oficial de câmbio do BNA, 118,9 kwanzas por cada dólar, reflectindo a desvalorização de mais de 6,6% desde 4 de Junho.

A cotação oficial está ainda distante dos preços praticados no mercado informal, a única solução face às dificuldades dos clientes em acederem a divisas junto dos bancos comerciais, onde se pratica um câmbio de venda do dólar superior a 180 kwanzas.

O banco central anunciou a 28 de Maio passado a intenção de “descomprimir” a crise cambial no país, devido à crise do petróleo, que desde Outubro fez reduzir a entrada de divisas no país, quando então um dólar valia menos de 100 kwanzas.

O Centro de Estudos e Investigação Científica da Universidade Católica de Angola defendeu, no seu relatório económico anual uma desvalorização imediata até 20% na moeda nacional, face ao dólar, para travar a especulação no mercado paralelo. (Macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH