Timor-Leste quer consórcio de língua portuguesa para exploração petrolífera

25 June 2015

O governo de Timor-Leste reafirmou o desejo de que seja constituído um consórcio de empresas dos países de língua portuguesa para a prospecção de recursos petrolíferos em terra em Timor-Leste, de acordo com declarações do ministro do Petróleo e dos Recursos Naturais.

O ministro Alfredo Pires destacou à agência noticiosa Angop, à margem da I Conferência de Energia para o Desenvolvimento da CPLP, aberta quarta-feira, em Lisboa, a importância da ideia “inédita”, que visa “mobilizar esforços conjuntos dos Estados-membros para exploração petrolífera na zona terrestre de Timor-Leste” bem como “consolidar o relacionamento económico e empresarial” entre os países de língua portuguesa.

Alfredo Pires adiantou que a criação de um consórcio de exploração petrolífera com as empresas estatais de hidrocarbonetos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) tem sido defendida pelo primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão, e apoiada pelo Presidente do país, Taur Matan Ruak, esperando-se seja que concretizada durante a presidência timorense da CPLP.

Reunidos no primeiro encontro de ministros da Energia da CPLP, os ministros do pelouro defenderam o incentivo do desenvolvimento do sector “de forma sustentável e inclusiva, visando melhorar a segurança energética e garantir o acesso a um nível mínimo de serviços de energia sustentável nas zonas rurais e urbanas.”

Decidiram ainda “promover parcerias e investimentos na área energética, entre agentes institucionais e económicos da CPLP” e “identificar áreas prioritárias para uma estratégia de cooperação, para contribuir para a diversificação da matriz energética e a redução das emissões de gases.” (Macauhub/PT/TL)

MACAUHUB FRENCH