Inflação em Moçambique ficará abaixo da meta governamental em 2015 – Standard Bank

24 July 2015

Moçambique deverá registar este ano uma taxa de inflação média anual “muito abaixo” da previsão de 5,1% das autoridades moçambicanas, antecipa a filial local do Standard Bank no seu boletim económico mensal de Julho, enviado à macauhub em Maputo.

A instituição financeira assinala que os impactos económicos da desvalorização que o metical tem vindo registar relativamente ao dólar, que se traduziu numa depreciação de cerca de 27% no espaço de um ano, não vão comprometer a previsão do Governo de Moçambique.

Num comentário à decisão do Comité de Política de Monetária do Banco de Moçambique de manter inalteradas as principais taxas de juro de referência do mercado, e mesmo perante a desvalorização do metical, o Standard Bank considera que esta “postura revela que as autoridades monetárias acreditam que a inflação se mantenha dentro dos objectivos estabelecidos”.

No entanto, antecipa medidas adicionais para “conter a liquidez” da base monetária, não excluindo a hipótese de um aumento do coeficiente das reservas obrigatórias, actualmente fixado em 8%, dado que o banco central tem mostrado “resistência” ao aumento das taxas de juro.

Desde de Novembro de 2014, o Banco de Moçambique mantém inalteradas as taxas de facilidade permanente de cedência de liquidez (7,5%) e de facilidade permanente de depósitos (1,50%).

Destacando os dados macroeconómicos do Instituto Nacional de Estatística referentes ao último trimestre de 2014 e primeiro de 2015, em que o crescimento da economia desacelerou de 8% para 5,9%, o relatório da instituição financeira salienta a decisão do INE de rever de 7,5% para 7,2% a sua previsão para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015.

E, neste contexto, reafirma as suas “projecções de um crescimento mais lento da economia este ano, em torno de 6,5%”, contra a previsão de 7,5% do Governo de Moçambique, assinalando uma possível quebra do ritmo de crescimento económico para 5,5 em 2016, em resultado do “impacto negativo da queda do preço do carvão,” mesmo considerando o possível início das exportações da mineira Vale Moçambique através do corredor de Nacala.

Por outro lado, lê-se ainda no relatório, esta previsão traduz também a “redução temporária do investimento directo estrangeiro” e “a necessidade de uma expansão mais lenta dos agregados monetários para estabilizar o metical e manter a inflação sob controlo”, reflectindo a necessidade de manutenção de medidas de consolidação fiscal por parte do Governo.(macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH