Dinamarca concede financiamento para a rede de energia eléctrica em Moçambique

11 August 2015

O projecto de reforço e extensão da rede de transporte de energia eléctrica de Moçambique na província de Inhambane vai custar 115 milhões de euros, afirmou o director provincial dos Recursos Minerais e Energia, Dino Milice.

Este projecto, que pretende melhorar a qualidade e disponibilidade do sistema de fornecimento de energia, conta com financiamento da Agência de Desenvolvimento Internacional da Dinamarca (Danida) e do Nordea Bank AB, bem como do governo central de Moçambique.

Os trabalhos a realizar no âmbito da execução do projecto incluem a extensão das subestações de Lindela/Maxixe, a construção de uma nova subestação de 30 megavolts amperes, 110/33 quilovolts em Massinga, a edificação da linha de 110 quilovolts em Lindela/Massinga e a construção de uma nova linha de 33 quilovolts na vila da Massinga para permitir, no futuro, a alimentação alternativa àquela urbe e a construção de uma nova linha de 33 quilovolts Maxixe/Homoíne em substituição da existente, que se encontra degradada.

As obras de construção da linha Lindela/Massinga, incluindo as subestações daqueles pontos da província de Inhambane, vão consumir 23 milhões de euros, enquanto as linhas de 33 quilovolts, incluindo a ligação a 850 novos consumidores na vila de Homoíne, vai custar 1,6 milhões de euros.

A execução do projecto, que se prolonga até Dezembro de 2017 e cujas actividades deverão abranger também as províncias de Maputo e Gaza, está a cargo da Aarslett/Seth, empreiteiro que ganhou o concurso público internacional, sendo que as obras serão fiscalizadas pela Norconsult/Vattenfall.

Citado pelo jornal Notícias, de Maputo, Dino Milice disse recentemente que na província de Inhambane já foi concluída a linha de 33 quilovolts que parte da Massinga para a nova subestação da vila-sede do distrito, ao mesmo tempo que estão em curso os trabalhos de edificação de uma outra linha de 33 quilovolts de Maxixe/Homoíne.

O director provincial dos Recursos Minerais e Energia disse ainda que estão numa fase bastante adiantada as obras de construção civil da nova subestação da Massinga, ao mesmo tempo que decorrem trabalhos de desmatação ao longo do traçado da linha de 110 quilovolts. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH