Moçambique pretende reduzir para metade défice de arroz

12 August 2015

A adopção de novos métodos de produção visando a redução do actual défice de arroz de 360 mil toneladas para metade é uma das principais conclusões da VII reunião nacional sobre a matéria, realizada na vila do Buzi, província de Sofala, informou o jornal Notícias, de Maputo.

Para esse efeito, o director nacional de Agricultura e Silvicultura, Mahomed Valá, disse que as autoridades do sector vão potenciar três aspectos, o melhoramento da semente, a utilização de adubos e a constituição de mercados para a sua comercialização.

Outra conclusão da reunião é a necessidade de se proceder a um estudo sobre uma segunda época de produção do cereal, tendo em vista o aumento da produção, principalmente nas regiões com grande potencial.

“A segunda época tem sido difícil em Moçambique porque coincide com noites frias, em que a temperatura chega a atingir 16 a 18 graus centígrados, o que dificulta a floração e o desenvolvimento normal do grão”, disse ainda Mahomed Valá.

No decurso do mesmo encontro, o director nacional de Agricultura e Silvicultura tinha já afirmado que a baixa produção que se regista na cultura do arroz está relacionada com factores como dificuldade no acesso a meios de produção de qualidade, utilização limitada de meios mecânicos e dificuldades no acesso ao crédito.

Mahomed Valá disse ainda que a utilização de tecnologias tradicionais, fraca capacidade de gestão de água, fraco nivelamento dos solos, adversidades climáticas, tais como inundações, cheias, seca e estiagem, são outros factores que têm influenciado negativamente a produção de arroz no país.

Moçambique dispõe de 900 mil hectares potenciais para a produção de arroz, dos quais apenas cerca de 310 mil estão a ser explorados actualmente, sendo que mais de metade deste potencial está nas províncias da Zambézia e Sofala, na região centro do país. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH