Suazilândia quer acesso ao Oceano Índico através de Moçambique

27 August 2015

O governo da Suazilândia pretende construir um canal através de Moçambique a fim de dispor de uma ligação directa ao Oceano Índico, noticiou o jornal diário “Times of Swaziland”, que citava o ministro do Comércio e Indústria, Gideon Dlamini.

O ministro afirmou que o governo aprova este projecto, conforme apresentado pelo seu promotor, e adiantou que o primeiro-ministro Sibusiso Dlamini deu instruções no sentido de os diferentes ministérios envolvidos começarem a cooperar com o promotor, o empresário Moses Motsa, um das pessoas mais ricas da Suazilândia.

O projecto apresentado por Moses Motsa ao governo suazi tem um custo estimado em 30 mil milhões de emalangenis (2,3 mil milhões de dólares), de acordo com o diário.

O jornal, citando alguns aspectos do projecto, afirma que em causa está a construção de um canal com 26 quilómetros de extensão desde a costa de Moçambique até Mlawula, na Suazilândia, local onde seria construído um porto interior em 15 a 20 hectares de terreno, que teria capacidade para receber até quatro navios em simultâneo.

O ministro Gideon Dlamini, de acordo com o “Times of Swaziland”, informou ainda ter o primeiro-ministro dado instruções ao Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional para iniciar conversações com Moçambique relativamente a este projecto “a fim de que o país possa ter acesso directo ao mar.”

Dados recolhidos na Internet permitem, no entanto, afirmar que a distância entre Mlawula, onde existe um parque natural, e Maputo, na costa do Índico, é de 63 quilómetros por via aérea, 106 quilómetros por estrada via Namaacha, que aumentam para 247 quilómetros via Moamba. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH