Bloco petrolífero Área 1 de Moçambique exige investimento de 24 mil milhões de dólares

31 August 2015

Os grupos petrolíferos envolvidos na exploração do bloco Área 1 da bacia do Rovuma, norte de Moçambique, irão investir cerca de 24 mil milhões de dólares para iniciar a extracção de gás natural, noticiou a agência noticiosa Press Trust of India (PTI).

Os grupos estatais indianos Oil and Natural Gas Corp (ONGC), através da ONGC Videsh, controla 16% do bloco, o Bharat Petroleum Corporation Limited (BPCL) controla 10% e o Oil India Ltd (OIL) 4%, fazendo com que o Estado indiano detenha mais do que o principal parceiro e operador, o grupo norte-americano Anadarko Petroleum, que tem 26,5%.

Um responsável da ONGC Videsh, citado pela PTI, afirmou que os parceiros do bloco Área 1 terão de investir 23 a 24 mil milhões de dólares para começar a extrair gás natural, processá-lo e liquidificá-lo, para posterior exportação para os mercados consumidores, entre os quais a Índia e o Japão.

O objectivo é começar a processar gás natural no primeiro trimestre de 2020 numa fábrica a ser construída em terra, disse ainda a fonte citada pela agência, que referiu uma produção inicial de 12 milhões de toneladas.

Este bloco Área 1 tem capacidade para produzir anualmente 20 milhões de toneladas de gás natural liquidificado, assumindo-se como o segundo maior projecto de gás natural depois do Ras Laffan, no Qatar, operado pelo grupo norte-americano ExxonMobil.

O bloco, operado pelo grupo Anadarko Petroleum, tem ainda como parceiros, além dos três grupos estatais indianos, o grupo Mitsui do Japão, com 20%, a empresa estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos, com 15% e o grupo da Tailândia PTTEP (8,5%). (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH