Banco de Portugal adia venda do Novo Banco

16 September 2015

O Banco de Portugal suspendeu o processo de venda do Novo Banco depois de ter recusado as três propostas nesse sentido que foram apresentadas até à data, de acordo com um comunicado terça-feira divulgado em Lisboa.

“A venda da participação accionista do Fundo de Resolução será retomada quando estiverem reunidas condições que melhor propiciem a obtenção de propostas mais condizentes com os objectivos fixados pelo Banco de Portugal”, pode ler-se no comunicado.

Dizendo que optou por “interromper o processo de venda da participação do Fundo de Resolução no Novo Banco, iniciado em 2014, e concluir o procedimento em curso sem aceitar qualquer das três propostas vinculativas”, o banco central português adianta que o “Conselho de Administração considera que os termos e as condições das três propostas vinculativas não são satisfatórios e que o processo foi condicionado por importantes factores de incerteza.”

Com o adiamento da venda do Novo Banco, após o fecho das negociações com os actuais concorrentes (Anbang Insurance, Fosun International e Apollo Global Management), o Banco de Portugal admite um novo modelo de venda da instituição financeira, baseado na venda parcial (superior a 50%) com o restante capital a ser alienado posteriormente ao novo accionista ou a ser disperso em bolsa.

O Fundo de Resolução aplicou 4,9 mil milhões de euros (3,9 mil milhões via empréstimo do Estado) na capitalização do Novo Banco, instituição que herdou os activos considerados de qualidade do falido Banco Espírito Santo. (Macauhub/CN/PT)

MACAUHUB FRENCH