PIB de Macau deverá contrair-se 21% em 2015, EIU

22 September 2015

A economia de Macau deverá registar uma contracção de 21% em 2015 mas retomar a senda do crescimento em 2016, com uma taxa prevista de 5%, escrevem os analistas da Economist Intelligence Unit no mais recente relatório sobre o território.

2015 será ainda o ano em que a formação bruta de capital fixo, vulgo investimento, acompanha a tendência de contracção do PIB e regista uma quebra de 13,0%, para voltar a crescer em 2016 a uma taxa igual à prevista para a economia, de 5%.

Os restantes indicadores analisados pela EIU mantêm-se sensivelmente sem grandes alterações, caso da taxa de inflação que este ano deverá situar-se em 4,5%, uma queda de ponto e meio percentual comparativamente aos 6,0% de 2014, e crescer 20 pontos base para 4,7% em 2016.

A grande alteração verifica-se no indicador saldo orçamental do governo em percentagem do PIB, que está em queda desde 2013 e que os analistas da EIU prevêem mantenha essa tendência, baixando para 17,8% este ano e para 16,6% em 2016.

A principal razão apontada para esta contracção violenta da economia de Macau, que em 2014 contraiu-se 0,4%, deve-se, de acordo com a EIU, à campanha anticorrupção iniciada na China em 2014, que teve como resultado a queda abrupta da receita dos casinos, muito em particular no chamado segmento VIP.

No entanto, prosseguem, o sector do jogo, a principal actividade económica em Macau, deverá recomeçar a expandir-se nos últimos meses de 2015, embora a partir de uma base mais baixa, atendendo à substituição do segmento VIP pelo segmento de mercado de massas.

A EIU refere-se igualmente ao efeito positivo que a conclusão de diversos projectos hoteleiros e de jogo deverá ter na economia de Macau, que deverá conduzir a um maior crescimento a médio prazo. (Macauhub/MO)

MACAUHUB FRENCH