Défice orçamental de Portugal em 2015 poderá superar previsão

25 September 2015

O défice orçamental português no segundo semestre terá de ser igual ou inferior a 0,9% do Produto Interno Bruto para que o governo possa cumprir a meta de 2,7% estabelecida para 2015, advertiu quinta-feira em Lisboa a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO).

O défice orçamental atingiu 4,7% do Produto Interno Bruto no final do primeiro semestre de 2015, de acordo com dados divulgados quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística.

Em nota rápida sobre as contas nacionais das administrações públicas no primeiro semestre de 2015, a UTAO escreve que “o resultado orçamental do primeiro semestre coloca em risco o cumprimento do objectivo anual para o défice e poderá comprometer o encerramento do Procedimento dos Défices Excessivos.”

De acordo com as contas dos técnicos independentes que apoiam o parlamento, o défice registado entre Janeiro e Junho deste ano “representa em termos nominais cerca de 84% do défice total projectado para o conjunto do ano e aproximadamente 80% do défice ajustado de medidas extraordinárias.”

Quanto ao encerramento do Procedimento dos Défices Excessivos a que Portugal está sujeito por ter um défice orçamental superior a 3% do PIB, a UTAO considera que a saída deste mecanismo “poderá estar em risco.”

“Tendo em conta o desempenho orçamental do primeiro semestre, para que o défice orçamental se situe abaixo do valor de referência de 3,0% do PIB, será necessário que o défice no segundo semestre seja inferior a 1,4% do PIB”, calculam os técnicos. (Macauhub/PT)

MACAUHUB FRENCH