São Tomé e Príncipe vai receber empréstimo de 21 milhões de dólares

29 September 2015

O Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional vão conceder a São Tomé e Príncipe um empréstimo de cerca de 21 milhões de dólares, a ser desembolsado ao longo de três anos, disse sábado em São Tomé o ministro das Finanças e Administração Pública.

O ministro Américo Ramos disse que este empréstimo junta o crédito já prometido pelo FMI (6,1 milhões de dólares) e um novo pacote de apoios do Banco Mundial (14,7 milhões de dólares), devendo o acordo para desbloquear os primeiros 4,95 milhões de dólares ser assinado “nos próximos dias.”

As negociações tiveram início em 2014 com o governo de Gabriel Costa e foram agora retomadas pelo governo de Patrice Trovoada, destinando-se parte da verba a apoiar o sector energético, tendo a parcela restante como destino o apoio ao Orçamento de Estado, redução da dívida pública e crescimento económico.

São Tomé e Príncipe está classificado como um país de alto risco no que se refere à amortização da dívida pública e o atraso dos pagamentos estatais constitui um grave problema para o actual governo.

O governo está ainda em dívida para com a Empresa Nacional de Combustíveis e Óleo (ENCO), controlada em cerca de 80% pela estatal Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), por causa da subvenção dos preços dos combustíveis, a que é necessário adicionar a própria dívida contraída pela Empresa de Água e Electricidade junto da ENCO.

A dívida da Empresa de Água e Electricidade junto da ENCO está estimada em 40 milhões de dólares, sendo a dívida total do governo de São Tomé e Príncipe para com aquela empresa de mais de 70 milhões de dólares.

A visita da missão do FMI para avaliar a situação económica e financeira do arquipélago surge numa altura em que o governo prepara o Orçamento de Estado para 2016 e a conferência internacional de doadores e investidores, prevista para os dias 14 e 15 de Outubro próximos em Londres. (Macauhub/ST)

MACAUHUB FRENCH