China Harbour Engineering vai co-financiar e construir porto de águas profundas em São Tomé e Príncipe

13 October 2015

A China Harbour Engineering Company (CHEC) vai co-financiar e construir o projecto de construção de um porto de águas profundas em São Tomé e Príncipe, informou segunda-feira em São Tomé o governo são-tomense.

O comunicado governamental assinado pelo ministro da Presidência, Afonso Varela, informa que “a CHEC tem a intenção de aplicar pelo menos 120 milhões de dólares” neste projecto, que tem um custo estimado em pouco mais de 800 milhões de dólares e conclusão prevista para 2019.

Segundo o documento, o memorando de entendimento entre as partes ficou concluído há uma semana, assumindo a China Harbour Engineering Company a responsabilidade pela concepção, desenho e construção.

O porto será construído em fases, estando a conclusão da primeira prevista para 2018, pode ler-se no documento que acrescenta tratar-se de “uma infra-estrutura de classe mundial e será desenvolvido para servir as necessidades logísticas do Golfo da Guiné”.

Constituída em 1980, a CHEC, subsidiária do grupo China Communications Construction Company Ltd (CCCC), é um conglomerado de serviços de engenharia com uma facturação anual superior a 5 mil milhões de dólares e com mais de 60 representações espalhadas por mais de 80 países.

O primeiro porto de águas profundas do arquipélago deverá ser construído na zona de Fernão Dias, distrito de Lobata, a 12 quilómetros da capital de São Tomé e Príncipe.

Sem um porto de águas profundas, a carga e descarga dos navios é actualmente feita no mar com a utilização de batelões. (Macauhub/CN/ST)

MACAUHUB FRENCH