Galp Energia despende 100 milhões de dólares na prospecção petrolífera em São Tomé e Príncipe

10 November 2015

O grupo português Galp Energia vai despender mais de 100 milhões de dólares na prospecção petrolífera do Bloco 6 da Zona Económica Exclusiva de São Tomé e Príncipe, em parceria com a empresa Cosmos Energy, afirmou segunda-feira em São Tomé o presidente do grupo.

Carlos Gomes da Silva, que fez esta declaração no acto que formalizou o acordo estabelecido há duas semanas com a Agência Nacional de Petróleo de São Tomé e Príncipe, disse que o capital a aplicar na prospecção do bloco não será nunca inferior a 100 milhões de dólares, devendo essa fase ficar concluída dentro de oito ou 10 anos.

O presidente do grupo anunciou na ocasião terem-se os trabalhos “iniciado oficialmente hoje (segunda-feira)” e acrescentou que esta fase iniciar-se-á com a avaliação geológica da zona através da realização de estudos sísmicos, a que se seguirá a análise dos riscos de investimento antes de se dar início à fase de desenvolvimento e produção.

O grupo Galp Energia procedeu segunda-feira ao depósito de 2 milhões de dólares a favor do Estado de São Tomé e Príncipe correspondente ao bónus de assinatura do contracto de partilha de produção e Carlos Gomes da Silva anunciou o desembolso de 1,2 milhões de dólares no decurso dos próximos quatro anos para despesas de carácter social.

Neste bloco o grupo português detém uma participação de 45%, sendo além disso operador, a Kosmos Energy, com sede em Dallas, Texas, tem igualmente 45% e os restantes 10% são da Agência Nacional do Petróleo (ANP), em representação do Estado.

O contracto assinado entre a Agência Nacional do Petróleo e o grupo Galp Energia tem uma duração de 28 anos e estabelece que os primeiros oito anos serão dedicados à prospecção e os restantes 20 ao desenvolvimento e produção.

O Bloco 6, localizado no mar de São Tomé e Príncipe, tem uma profundidade média de 2500 metros e cobre uma área de 5024 quilómetros quadrados. (Macauhub/PT/ST)

MACAUHUB FRENCH