ENI vai adjudicar plataforma flutuante para gás natural em Moçambique

13 November 2015

O grupo italiano ENI deverá adjudicar a curto prazo a empreitada de construção da plataforma flutuante para o processamento de gás natural a ser extraído na bacia do Rovuma, norte de Moçambique, escreveu o jornal da especialidade “Upstream.”

O jornal acrescentou que o contracto deverá ser adjudicado ao Reef Consortium, constituído pelo grupo francês Technip, pela JGC, anteriormente conhecida como Japan Gasoline Company e a Samsunh Heavy Industries da Coreia do Sul.

O jornal escreveu igualmente que a construção da plataforma flutuante, o transporte e a instalação no local deverá custar ao grupo italiano uma soma próxima de 5 mil milhões de dólares.

No entanto, antes de a empreitada poder ser adjudicada é necessário que os restantes parceiros no bloco Área 4 da bacia do Rovuma – China National Petroleum Corporation (20%) e Galp Energia de Portugal, Kogas da Coreia do Sul e a estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos, todos com 10% cada – a aprovem.

O grupo ENI continua a afirmar pretender iniciar a produção de gás natural liquidificado em 2019 mas ainda não tomou a decisão final de investimento, o que deverá vir a acontecer no início de 2016.

Um dos principais problemas é que o preço do gás está intrinsecamente relacionado com o do petróleo, que caiu mais de 40% ao longo dos últimos 12 meses, além do que novos fornecedores de gás natural entraram recentemente no mercado, colocando pressão no sentido da baixa sobre os preços.

Não obstante estes problemas, o grupo italiano tem estado a assegurar compradores para o gás natural a extrair em Moçambique, tendo anunciado a 29 de Outubro passado estar prestes a concluir um acordo com o grupo BP. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH