Angola cede terreno de 7 mil hectares a Cabo Verde

20 November 2015

O governo de Angola cedeu um terreno de sete mil hectares na província do Cuanza Sul a Cabo Verde para desenvolvimento agrícola, disse quinta-feira o embaixador cabo-verdiano em Angola, Francisco Veiga.

O embaixador, no final de uma visita de cortesia ao governador do Cuanza Sul, Eusébio de Brito Teixeira, disse ainda que o governo que representa vai analisar agora o que produzir no terreno mas adiantou que a produção de milho a partir de sementes melhoradas é uma das culturas prioritárias.

“Os ministérios do Desenvolvimento Rural e das Finanças e do Planeamento já estão a analisar o dossier respectivo, a fim de que o governo possa decidir o que irá ser produzido naqueles sete mil hectares”, precisou o embaixador, citado pela agência noticiosa Angop.

Francisco Veiga e o governador do Cuanza Sul passaram em revista o projecto de cooperação entre os dois países, particularmente um acordo de geminação entre as cidades da Praia e de Sumbe, onde prevê venha a ser criada uma aldeia rural para a instalação de famílias cabo-verdianas que se irão dedicar à actividade agro-pecuária.

Cabo Verde já produz alimentos fora do país, concretamente no Paraguai, onde o governo, em parceria com o engenheiro agrónomo Adriano Bettencourt Pinto, comprou em 1986 um terreno com 10 mil hectares, onde se produz fundamentalmente arroz, milho, trigo e soja.

O terreno, comprado a um particular por 1,129 milhões de dólares, 80% do Estado cabo-verdiano e os restantes 20% do engenheiro agrónomo, acabou por ir parar a privados, na sequência da “privatização da Empresa Nacional de Abastecimento (EMPA) e com as indecisões políticas da época”, de acordo Adriano Pinto.

O terreno é conhecido como a Ilha Verde e por muitos considerado como a 11.ª ilha de Cabo Verde, tendo o primeiro carregamento de 15 mil toneladas de milho chegado ao arquipélago em Novembro de 2013. (Macauhub/AO/CV)

MACAUHUB FRENCH