Desvalorização da moeda de Moçambique deriva de factores conjunturais

23 November 2015

A desvalorização acentuada do metical face ao dólar resulta de factores conjunturais e não dos empréstimos de valor elevado contraídos para a execução de algumas obras públicas, afirmou sexta-feira em Maputo o governador do Banco de Moçambique.

Ernesto Gove, que usava da palavra no decurso de uma Conferência Nacional sobre Dívida Pública, frisou os factores de natureza externa e interna e rejeitou que obras como a construção da estrada circular de Maputo e da ponte Maputo/Catembe bem com a constituição da Empresa Moçambicana de Atum estejam na base da desvalorização acentuada da moeda nacional.

O governador recordou que o dólar tem estado a valorizar-se em termos mundiais, tendo atingido níveis preocupantes não só em relação ao metical mas também de forma significativa em relação ao rublo da Rússia, real do Brasil e de algumas moedas da África Austral, de acordo com o jornal Notícias, de Maputo.

A questão do endividamento para as grandes obras em referência também foi abordada pelo ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, para quem os empréstimos realizados para a construção da estrada circular de Maputo, a ponte Maputo/Catembe e ainda a constituição da empresa Ematum foram uma opção que o governo entendeu ser conveniente.

Maleiane adiantou que a ponte Maputo/Catembe vai permitir concretizar a ligação rodoviária entre o norte e o sul do país, indo ainda uma ligação por estrada ininterrupta Durban, na África do Sul e o Cairo, no Egipto. (Macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH